Follow by Email

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Motivos para O Exorcista ser o melhor filme de terror de todos os tempos

Eu sempre falo pra todo mundo que adoro esse filme. Tenho medinho, mas adoro. Uma coisa que preso muito é filme que não tem terror gratuito, por exemplo cenas desnecessárias de sangue. Filmes de possessão demoníaca tendem a ser clichês de si mesmos até porque não tem pra onde fugir, mas tudo depende de como se faz, com quem se faz e do nível de execução que a equipe se propõe a fazer. Eis aqui os meus motivos:

1- Todo mundo sabe que filme de terror geralmente passa longe de Oscar e pasme, ele ganhou dois.
2- O filme é de 73, (um ano antes foi feito Frenesi do Hitchcock e dois anos antes a Fantástica fábrica de chocolate) em comparação com o nível de produção dos filmes da época, O Exorcista é incrível, se colocassem a imagem em HD ia parecer coisa de no máximo 10 anos atrás.
3- Gerou MUITA polêmica e medo nas salas de cinema, até paramédicos eram chamados, que filme faz isso hoje em dia, Atividade Paranormal? Hahaha.
4- Teve uma cena com a Ellen Burstyn que ela realmente se machuca e o real grito de dor foi usado na cena.
5- Além de maquiagem demoníaca super bem feita, teve a de envelhecimento do padre Lankester, e que ninguém suspeita que é maquiagem.
6- Só de ter a Ellen Burstyn já é um mega motivo, sua atuação em Requiem para um sonho é julgada uma das melhores femininas de todos os tempos.
7- As "imagens subliminares", de tão tosquinhas são até charmosas.
8- Linda Blair nunca mais conseguiu nada que emplacasse por causa da sua fama de monstro depois do filme.
9- Foi de fato inspirado em um suposto exorcismo em 1949.
10- Qualquer filme que tenha cenas banidas em cinema por serem muito assustadoras merecem nosso respeito.

Sedutora e diabólica


   Sedutora e diabólica é um filme que adoro assistir, é bem hollywoodiano e a história corre num ritmo muito agradável. A protagonista da história é a querida Nikki Reed (que fez Aos treze, Crepúsculo e pasmem, ainda canta) que interpreta a Minerva Drogues, estudante de ensino médio bem prafrentex e sem noção de perigo. Acontece que a criação da Mini foi problemática, sua mãe alcoólatra, Diane(Carrie-Anne Moss) sempre a criou de qualquer jeito, já que o próprio fato de ficar grávida foi com intenções monetárias, se casou com um cara muito rico, Martin (o ex-gato do Alec Baldwin) e vivia uma vida totalmente superficial, o que incomodava Mini. Para se entreter na sua vidinha luxuosa e carente de afeto, Mini decide experimentar tudo quanto é coisa pela primeira vez e acaba tentando a profissão de prostituta de luxo. No seu primeiro programa ela se depara com quem, com quem hã hã? Seu padrasto! Se choca um pouco, mas, ao refletir, acha que seria uma primeira vez interessante e realmente consuma a situação. 

    Acontece que Mini acaba se dando muito bem com seu padrasto e decide, junto com ele, se livrar de sua mãe. O engraçado é que ela é extremamente manipuladora e esperta, consegue tudo o que quer e não assume nenhuma consequência. Acho que esse filme vai bem na linha do Aos Treze, porque aqui ela também interpreta uma mal caráter com maestria. O filme é bem gostoso de assistir e fácil de assimilar, indico para aqueles dias que se tem preguiça até de pegar copo d´água.


Mini e Martin começam a se dar bem

Minerva atiça em momento de estudo









Mini e Martin tentando infernizar a vida de Diane

domingo, 4 de novembro de 2012

O Casamento de Muriel


Muriel Heslop é essa garota de cima, interpretada por Toni ColLette nessa produção australiana, que sabiamente faz parte das obras cinematográficas indicadas no livro 1001 filmes para ver antes de morrer. Pois bem, Muriel mora em Porpoise Spit, sonha em se casar e é uma fã incondicional do grupo sueco ABBA. Sua vida não é bem um conto de fadas, em casa, ela e seus irmãos são considerados inúteis por viverem uma vida acomodada e sem perspectivas.
       A virada na vida de Muriel acontece quando suas supostas amigas a expulsam do grupo, alegando que não está no nível delas por conta de seu jeito desleixado. Assim que rompem a amizade e decidem sair de férias sem Muriel, esta decide viajar para o mesmo local, com o dinheiro de um cheque em branco que sua mãe lhe ofereceu para ajudar a se tornar consultora de beleza.
Ao chegar no resort tropical, se reencontra com uma amiga da época de colégio, Rhonda Epinstall. E o estreitamento dessa amizade permite que Muriel experimente viver a vida sem repressões e ser quem ela sempre quis ser. Terminado o período da viagem, as duas se mudam para Sydney, e Muriel vê essa mudança como uma oportunidade de recomeçar a sua vida e tentar sair da inércia que a acompanhava em Porpoise Spit.


 Começa a trabalhar em uma vídeo locadora e até muda seu nome para Mariel, tão logo muda suas atitudes consegue conquistar um cliente da locadora.
Tudo ia muito bem, até que sua amiga Rhonda acidentalmente fica paraplégica. Mariel, sempre obcecada com casamentos, procura alguém nos classificados e vê uma oportunidade de matrimônio quando David Van Arkle, um atleta que tenta  competir nos jogos olímpicos, oferece uma quantia em dinheiro para obter a nacionalidade australiana.

 O que mais gosto no filme é que ele atua como um conto de fadas atual, só que dispensa a carruagem de abóbora e príncipes encantados, pois tudo progride assim como na vida real, cheio de percalços. A história de Muriel é uma inspiração, por mais que não seja aquela idealizada, de que todos podemos sair da nossa inércia e inutilidade para fazer a diferença, nem que seja somente em nossas próprias vidas, por nossos próprios objetivos.
David Van Arkle 
 Muriel e seu ótimo senso de moda









As caretinhas que faz ao longo do filme

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Bem- Vindo à Casa de Bonecas



   Esse filme é de 1995. Descobri ele folheando o Almanaque dos anos 90, e a descrição era de filme melancólico como se fosse uma tragédia enorme ó meu Deus, mas na verdade não achei isso. O filme conta
a história de Dawn Weiner, que é a sofredora de bullying da escola por não ser muito bonita, na escola é chamada de wiener dog, um cachorro salsichinha. Nem a própria família de Dawn dá atenção devida pra ela. Seu irmão mais velho é super sem graça, mas pelo menos tem uma banda (horrorosa) e é super nerd e sua irmã mais nova é fofinha e a queridinha da família, por mais que Dawn saiba tocar alguma coisa de piano, ela não tem muito destaque, é o famoso complexo de irmão do meio. Achei legal que a personagem é interpretada pela Heather Matarazzo, a menina que fez parte de O Diário da Princesa.

  Heather Matarazzo, a Dawn Weiner.



   Pois bem, a Dawn sofre com as encheções de saco de Lolita e de Brandon. O menino inclusive se interessa por ela de uma maneira esquisita e evita demonstrar, inclusive, em uma das cenas diz, meio nervozinho que mais tarde a estupraria. 

   Dawn tem uma paixonite por um dos integrantes da banda do irmão, Steve Rodgers. O mais engraçado é ver suas tentativas de parecer descolada para Steve, diz para ele que pode entrar em seu "Clube de Pessoas Especiais", um barraquinho montado no quintal dela. Mas Steve e nem ninguém é muito sensível à pobre Dawn. 

     Após ver o filme discordei totalmente do que li no Almanaque anos 80, na verdade não é um filme melancólico ou exagerado, são coisas que geralmente acontecem com quem sofre bullying e não tem coragem de se afirmar, assim como Dawn. O bacana é que, mesmo com as dificuldades em casa e com as provocações na escola, Dawn pode ser interessante para alguém, o que acontece quando ela e Brandon se conhecem melhor. 






Cena 
em que Brandon
a perturba










Roupa que Dawn usa na festa de aniversário de casamento dos seus pais. Super na moda.


terça-feira, 5 de junho de 2012

Coleção O Teatro dos Contos de Fada


Tá a maior onda isso de contos de fadas, filmes de contos de fadas e afins. Mas geralmente a qualidade, não tecnológica, o conteúdo mesmo, fica bem pobrinho. O teatro dos contos de fada é uma coleção de episódios feita para a TV que assistia muito durante a minha infância e acho que todo e qualquer amante de cinema deve conhecer.


A coleção foi uma proposta da Shelley Duvall (atriz de O Iluminado), que adora trabalhar para o público infantil. Resolveu fazer a apresentação de 26 contos de fadas em formato teatral com duração em torno de 60 minutos cada.
Susan Sarandon e Klaus Kinski
Vincent Price






O mais legal das histórias é que os atores e diretores são os artistas mais influentes dos anos 80 ou até os anos 80. Vincent Price, Robin Williams, Terry Gilliam e até Mick Jagger participaram do projeto. No time dos diretores temos Coppola e Eric Idle como prova da preciosidade da coleção.
O meu favorito, indiscutirvelmente, pois, conforme cada diretor um estilo de conto diferente, é o conto do Príncipe Sapo.





A coleção conta com muitos contos batidos: Cinderela, Pequena Sereia, Bela e a Fera e etc. E com alguns contos que muita gente nunca ouviu, tal qual as Princesas Dançarinas, O Rouxinol e O menino que saiu de casa para saber o que era o medo. Há alguns anos atrás, estavam disponíveis todos os volumes na rede Makro, o preço era docinho,  4,99. Se esgotaram rapidamente e mudaram de produtora, sendo possível encontrá-lo em outros estabelecimentos, eu por exemplo, cheguei à adquirir por mais de 15 reais os meus últimos dvds e agora sou uma orgulhosa dona dessa obra de arte.

Aqui tem a primeira parte do conto da Cinderela, com Jennifer Beals e Mathew Broderick.


Este é um gostinho do conto do Rouxinol, com o querido Mick Jagger.

Para mim é o maior Must-see de todas as obras cinematográficas, vale a pena ver e ter em casa, mostrar para família, entreter crianças e deixar babando os amigos cinéfilos. #ficadica

sexta-feira, 9 de março de 2012

10 filmes lights para o fim de semana


Final de semana feliz começa com filme bobinho de clima alegre. Aqui eu selecionei aqueles que tem cara de sessão da tarde (Não tem A Lagoa Azul, prometo!) e que são bem água com açúcar pra gente não ter que pensar muito. 

1- O primeiro é O Cinderelo do Jerry Lewis, o famoooso comediante americano. Ele tem muitos filmes dessa coleção, mas o que eu mais ri foi o do cinderelo mesmo. Como o título prevê, o filme troca cinderela por cinderelo, daí quase tudo muda de gênero, até o fado padrinho! Mas o mais legal são as cenas exageradas dessa paródia sensacional.



2- Férias em família geralmente nunca saem ilesas de discussão/ barraco/ briga. Isso é um fato, cada um quer fazer uma coisa, ir pra um lugar... Apesar de já ter aparecido na telinha algumas vezes, eu coloco na lista o Férias no Trailer  porque ele é bem gostoso de assistir e faz a gente correlacionar à alguns momentos da vida real. Obs.: As cenas do meninho com roupa de vileiro são impagáveis.



3- Todas contra John faz parte das comédias adolescentes, mas é bem divertido porquer conta da vingança de um grupo de meninas que descobriu que estava namorando o mesmo cara e depois pintam e bordam (mais que devido) com o menino, mas homem sempre se dá bem né não?!?




4- Esse quarto filme faz críticas severas à curiosidade das moçoilas com a vida do namorado, às vezes se torna um ciclo vicioso e você quebra a cara! Acontece isso com a fofa da Brittany Murphy (Que Deus a tenha) em A Agenda Secreta do Meu Namorado.





5- Apenas Amigos é BEM light e meio idiota até, mas vale a pena, porque você se sente na pele do Ryan Reynolds quando ele de adolescente gordo/feioso e apaixonado pela melhor amiga passa para lindo, bem sucedido e bem capaz de atrair quem ele quiser (ou não).






6- Eu te amo Beth Cooper- esse tem relação com o apenas amigos, menino que gosta da menina e a menina não ta nem aí nesse sentido, mas elas dão chance e eles têm sua vez de mostrar além do aparente.




7- Galera do mal - Esse filme é ótimo! Tem um time de atores muito bom : Macaulay Culkin (sim, olhei no google como escrevia né kkk), Mandy Moore e Jena Malone. É uma sátira muuuuito legal  ao protestantismo, e conta como é a vida de uma adolescente que engravidou do namorado gay e está em pleno colegial numa escola protestante.




8- Pode Bater Que Ela É Francesa - Esse filme conta a história de uma suposta colegial francesa que vai de intercâmbio pra casa da menina mais popular da escola. Só que a francesa é uma impostora e inferniza a vida da patricinha texana. No time do besteirol eu acho digno de 5 estrelas.







9- S1MONE- Esse vale só por ter o Al Pacino. Bem, Simone é uma atriz de cinema super aclamada pelo público, modelo de conduta e ainda é cantora. Só tem um detalhe pitico: Ela é um programa simulador, é o que faz o diretor de cinema Taransky (Pacino) sair da lama. Quase todo mundo já viu, mas quem não viu tem que ver.



10- O Show de Truman - A vida do Jim Carrey nesse filme é uma espécie de Big Brother. Ele é filmado o tempo todo e sua vida é transmitida por televisão, vive num estúdio gigante e nem faz ideia disso. Olha, eu ODEIO o Jim Carrey, mas esse é um dos únicos filmes que o cara é suportável, na moral.







É ruim colocar 10 filmes porque os clássicos dos clássicos acabam faltando (eu queria muito falar da Elvira- A rainha das trevas, filme com nome macabro mas é tãaaao sessão da tarde), enfim, esses filmes dão uma leveza depois que você assiste, isso é, se você não dormir no meio, como eu faço sempre hahaha. E além da leveza, geralmente tem uma moralzinha que passa uma mensagem pra gente e ao  descobrir as mensagens, você encontra uma utilidade nas duas horas gastas sentado no sofá. Mas vê se aplica na sua vida o que aprendeu de bom, tá?!


terça-feira, 6 de março de 2012

10 (+3) Coisas que tem cara de infância

   Eu sou assumidamente nostálgica e sei que todo mundo é um pouquinho pelo menos. E na fase da infância/pré-adolescência é o momento que a gente guarda as melhores lembranças, sejam de brinquedos, comidas ou de futilidades da moda. Com colaboração da Miney, juntei algumas coisas que deixaram a sua marca na minha infância e na dela. 
    Segue a lista:

1-Desculpa aê se eu só penso em comida, o que não é mentira contando que estou com fome agora... Mas o primeiro item é a querida pitchulinha companheira de uns até hoje! E junto vem o Guaraná Caçulinha, porque a gente nunca achava que o lanche estava completo quando faltava a miniatura de refri.





2- Programas de TV da Nickelodeon (L) Eram os melhooores



Esse é o Lendas do templo perdido, era um programa de competição de crianças e o ponto alto é ao fim da competição quando elas entravam no templo e corriam o risco de apertar o botão errado e serem pegas pelos guardiões, era muita adrenalina! (#not)


Alex Mack (Fox Kids)! Ela tinha poderes de levitação com o poder da mente, soltar raios pelo dedo e virar líquido e ainda tinha tempo pra estudar!





Clube do Terror é o meu favorito até hoje, acho que foram umas 5 temporadas com historinhas de terror bem bobinhas contadas por um grupo de jovens.Quem era criança na época morria de medo e de noite se cobria com o cobertor para se "sentir protegido". Juro, ouvi testemunhos depois hahaha.
 








E tinha o Kablam! que era MEGAIDIOTA mas eu adorava, até porque misturava desenho animado com realidade, eu achava "O" Pânico para menores por causa das tiradinhas.




3- O tênis Bull Terrier foi uma modinha lascaaada, todo mundo tinha, era tipo dress code. Na época eu não tive, amava coisas coloridas (até conhecer Restart).
4- Chocolate Mania da garoto! Era super divulgado nas revistas Recreio que eu lia religiosamente, era caracterizado como o chocolate proibido para adultos (O de uva aimeudeus!).






5- Canetas perfumadas Signo- Eram um must no estojo das meninas. Todas amavam só que o preço era muito caro (cerca de 3 reais na época!) e as canetas mais amadas eram de chiclete, pipoca, chocolate e coca-cola.


6- Sea Monkeys- Eu MORRIA de curiosidade de saber se eram realmente mini pessoas, fala sério, parecia  mesmo da forma que divulgavam! Mas pelo que sei era um tipo de camarão, que eram criados por criancinhas em aquários, o que soa patético, e inclusive, por serem camarões mal dava pra ver, e todos os "alojamentos" vinham com uma lupinha. (Enganação hem)


7- Tênis de rodinha- Um monte de gente ia pra escola com esse lyndos tênis. Era engraçado o jeito de patinar, um pézinho na frente do outro, e quando alguém passava com o seu, vuuuush um sopro de inveja na cara dos amiguinhos!



8- Me desculpe, mas push pop é imprescindível, primeiro porque a gente fazia até fila na cantina pra comprar e segundo porque ninguém pedia "posso pegar um pouco" porque seria muito nojento. 



9- Tênis da Sandy, foram 475 modelos lançados (hahaha tipo isso), e quase todas meninas tinham. Todos eram feitos de plástico e em alguns quase não tinha diferença nenhuma. Outro item escolar hype.




10- Bambolê- Lembra do bambolê de encaixar da Carla Perez? Era o símbolo máximo da infância ter um bambolê, ainda mais um todo colorido!


11- As breguíssimas pulseiras de borracha (Livestrong, black and white e etc) TODO mundo teve uma, nem que fosse a de 1,99 da feirinha e não as de 50 da loja (sim, elas eram caríssimas! até mais que isso). Até hoje elas ensaiam uma volta triunfante.
12- Tazos- Duas coisas maravilhosas: tazos e cheetos, além de comer uma porcaria cheia de gordura trans e saborosa (isopor) você ganhava um SUPER cartãozinho redondo com personagens, ideia simples que estourou imensamente e fez toda a comunidade escolar colecionar.



13- Pra encerrar um dos aperitivos infantis favoritos: O din din! Tinha de vários sabores e cores, mas todos geladinhos até o talo. 


Que delícia de infância! Até bateu saudade:)