Follow by Email

segunda-feira, 5 de maio de 2014

A incrível Suzana



    A Incrível Suzana foi um filme que conheci nas últimas férias durante um passeio pela Livraria Cultura. À 
princípio não parecia um filme incrível, até por causa desse título meio piegas que não tem nada a ver com o original (The major and the minor). Tendo comprado ele para assistir com as minhas primas, não achei que elas fossem ver um filme inteiro em preto e branco sem desistir na metade. Maaas para minha supresa elas adoraram. 
    É importante dizer que se trata de uma comédia água com açúcar, se você se dispuser a ver um filme desse gênero vai gostar muito, caso contrário esse não é o filme para você. Com Ginger Rogers no papel de Susan Applegate, o filme conta a sua trajetória fracassada em Nova York, em um ano foram nada menos que 25 empregos. Então ela decide voltar para Stevenson, onde está a casa da mãe, e para isso ela guardou durante esse tempo inteiro a quantidade suficiente para a passagem de volta, cerca de 27 dólares. Ao chegar à estação, Susan descobre que os preços da passagem aumentaram e se vê sem saída. Apenas as crianças menores de 12 anos podem pagar a metade do valor. Sabendo disso, Susan logo decide se vestir de "menor" e tentar pagar um preço mais barato pela passagem. O que sai caro pra ela são as confusões em que ela se mete após conseguir o seu bilhete de trem. Ao entrar na cabine do major Kirby as coisas se complicam ainda mais, levando-a para um colégio de jovens cadetes onde todos caem de amores por ela e apenas uma pessoa sabe do seu segredo.
   Para um filme de 1943 eu acho as sacadinhas bem contemporâneas, no estilo dos filmes da sessão da tarde e também é uma ótima opção pra juntar a família no sofá da sala (fiz isso algumas vezes com esse filme). 


Essa é a Susan no seu último emprego mal sucedido em Nova York


 "Todas as garotas do colégio acham que são a Veronica Lake"                 Sue e o major Kirby






sábado, 3 de maio de 2014

All Hallows Eve


   O título do filme da postagem faz relação direta com a antiga forma da palavra Halloween. Caso o nome deixe dúvidas quanto ao gênero do filme, o palhacinho bonitinho da imagem acaba com todas elas. Eu achei o All Hallows Eve em um site de streaming e o que me chamou a atenção foi exatamente o palhaço boa praça. O filme é americano e de 2013, mas pelo visu mais 90´s e também pela estória discorrer acerca de uma fita cassete, eu jurava que era bem mais antigo, só percebi que era novíssimo depois que constatei que em 1990 não poderiam haver iPhones 5.
   A trama do filme inicia com a babá Sarah, que vai cuidar de duas crianças em pleno Haloween. As coisas tomam um rumo mais animado encontrarem uma fita cassete desconhecida na sacola de doces do menino. Depois que as crianças começam a insistir para ver o que tem na fita, Sarah concorda e eles começam a assistir sob a limitação de que "se ficar esquisito a gente pára". As primeiras cenas da fita são Ok, até que as filmagens se prolongam dentro de um metrô onde uma menina que aguarda lendo se depara com um sujeitinho vestido de palhaço que resolve incomodar a beça.
   Seguindo a linha do It (do Stephen King) de palhaços malditos que toda criança morria de medo, esse palhaço aqui me fez tremer as bases, apesar de ser visivelmente parte de um filme de baixo orçamento. Sério, em algumas cenas os efeitos são bem deprimentes. Além dessa crítica, o meio do filme é extremamente sem graça, já que é dividido em três estórias, mas juro que aqui não terão spoilers! Mas afirmo que todas as pessoas que assistiram ao filme comigo (umas 4) concordaram que o filme ficaria muito melhor sem a segunda estória, não digo nem sem ela, mas dando algumas mudadas.
   O melhor sem dúvidas fica para o final, que é quando realmente pensamos: "Era um filme desses que eu queria ver!". Bizarrice, um personagem ótimo e alguns dos nossos pesadelos mais intensos fazem parte desse filme que já se tornou um dos meus queridinhos de terror. Recomendo muito pra quem já é fã do gênero, agora, se você fica com medinho nem desce pro play, porque descer pode render bons pesadelos!


O palhacinho sendo simpático & querido


A babá e as "crianças" assistindo à fita 


Cena do metrô (ou trem), quem não adoraria ganhar uma flor desse cara simpático?


As "crianças"




Cuidado com o ataque de fofura